segunda-feira, 14 de março de 2011

centésimo décimo nono capítulo [119º]

QUINTA-FEIRA: 10 de Março de 2011


Os dias estavam a tornar-se totalmente insuportáveis sem o meu David a meu lado, ele continuava a aparecer em todos os jornais e revistas, ora pelo seu extraordinário desempenho em Inglaterra, ora porque foi deixado pela esposa modelo que abortou. Li todas as notícias e as palavras feriam como de uma faca a entrar no coração se tratasse. As lágrimas já não pediam licença para saírem dos meus olhos e usarem a minha face para competirem umas com as outras. Foi o primeiro ano, desde que estou em Lisboa que não fui à Moda Lisboa, apesar da vontade, sabia o batalhão de jornalistas que lá iam estar e isso era uma coisa que se dispensava. O voluntariado levava mais de metade do meu dia, e as sessões fotográficas que ainda fazia, para o sustento, a outra, ou seja, estava exausta! O único sitio onde me conseguia divertir um pouco era nos jantares e festa do pessoal, mas já não era a mesma coisa.

Sentei-me na cama, e olhei para um destino vazio.


*****

LEMBRANÇA: 16 de Setembro de 2009

Acordei depois de um jantar divertido com os rapazes e seguida de uma boa noite a dormir relaxadinha.
Levantei-me e abri os estores e a janela, uma brisa de ar quente correu pelo meu quarto. Dirigi-me então à casa de banho e depois de retirar a roupa que estava colada ao meu corpo tomei um banho fresco.
Vesti uma roupa confortável e adequada ao tempo (e calor!) que se fazia.


Desci às escadas, peguei na minha bolsa da escola e saí. O meu carro estava a arranjar e apanhei o metro para a faculdade. Cheguei lá num instante e as aulas correram mais rapidamente do que eu estava à espera.
Saí do edifício pronta para apanhar o metro para casa do David para lhe fazer uma surpresa. Mas parece que ele se antecipou e vi no Audi dele à porta, sorri e entrei sem pedir permissão.


- Oi! – ele esboçou aquele sorriso maravilhoso que me matava e beijou-me carinhosamente.

- Ia agora fazer-te uma surpresa, tonto! Antecipaste sempre! – acariciei-o.

- Eu sou assim…! Como correram essas aulinhas?

- Bem, podiam ter sido pior… E o teu treino, zuca?

- Foi bom, amô… E que me diz de almoçar-mos em minha casa, e termos uma tarde gostosa?

- Digo-te que não quero outra coisa… - mordi o lábio e beijei-o.

- Ainda bem, muleca!


Ele arrancou rumo ao apartamento dele e almoçámos o bacalhau que ele preparara. Depois de arrumar-mos a cozinha e enquanto ele estava na casa de banho, contemplei a vista que ele tinha daquela enorme varanda. Era linda, das melhores de Lisboa que já tinha visto.


- Então, amô? Que está fazendo?

- Estava a ver isto e a pensar… - ela sente-o a abraçá-la por trás. – O que é que estamos nós a fazer, praticamente às escondidas de toda a gente, amor?

- Estamos sendo felizes, estamos amando, lindona!

- Oh, David…! Eu amo-te tanto… mas isto confunde-me muito!

- Olha para mim, amô… Mesmo isto não parecendo correcto, sempre foi! E não vou deixá que ninguém entre na sua cabecinha e faça com que isto pareça ruim!

- És lindo, sabias? – beijei-o.


**


Voe por todo mar e volte aqui/ Voe por todo mar e volte aqui/ Pro meu peito.../ Se você for, vou te esperar/ Com o pensamento que só fica em você/ Aquele dia, um algo mais
Algo que eu não poderia prever/ Você passou perto de mim/ Sem que eu pudesse entender
Levou os meus sentidos todos pra você (…)

Os meus pensamentos voltaram com o som da música, olhei no ecrã e era David a ligar-me. Fiquei preocupada, pois ele nunca me ligara, e atendi imediatamente.


- Estou? – disse ofegante.

- Bom dia…

- Está tudo bem?

- Sim, e com você? – suspirei de alívio.

- Também…

- Acha que dá para vir ao aeroporto buscá seu maridão numa 1h30min? – um sorriso delineou a minha boca automaticamente.

- O quê?

- Tô dentro do avião para Lisboa…

- És louco, Vi!

- Tô morrendo é de saudade sua….

- Eu também, amor. Lá estarei, prometo. Amo-te.

- Beijo, te amo também.


Levantei-me num salto da cama e tomei um banho super rápido.
Vesti uma roupa normal, dei uma “secadela” no cabelo, coloquei um bocadinho de maquilhagem, para que ele não ficasse assustado quando me visse e saí de casa.




Conduzi calmamente, pois ainda tinha 20 minutos, e cheguei lá, na hora combinada, saí do carro e vi, que o avião já tinha chegado.
Naquele tempo que esperei, quando finalmente parei e pensei um pouco, o meu estômago estava como se fosse a primeira vez que ia estar com ele. Era ele que eu queria para mim, era com ele que eu queria viver o resto da minha vida, e acho que nunca tive dúvidas disso, mas estava perto de largar tudo de novo e rumar a Londres, estava perto de deixar que ele me amasse e desejasse de novo.
Ele chegou, com o capuz da sweat na cabeça e com uma mochila nas costas, foi reconhecido por uns jornalistas que lá estavam, que aliás, já estavam à espera dele, assim que me viram também. Ele ignorou-os e quando os nossos olhares se cruzaram deixei cair uma lágrima praticamente imperceptível. Ele fez aquele seu sorriso maravilhoso e caminhou calmamente para junto de mim.
Abraçou-me em primeiro lugar, os abraços dele, fortes, que me transmitiam toda a segurança possível e imaginária. Depois, delineou a minha boca com o seu polegar e beijou-me tirando a sede que ambos tínhamos. Foi um beijo calmo, eu sabia que ele só me queria demonstrar o amor que sentia por mim, e como se mantinha intenso.


- Vem, vamos para o carro amô… - disse assim que separou as nossas bocas.


Eu limitei-me a acenar e caminhamos de mãos dadas até ao carro. Assim que entramos ele beijou-me com mais intensidade, o que fez que toda a minha espinha arrepia-se totalmente.


- Fazemos isto em casa, Vi… - disse ofengante.

- Te quero muito!

- Eu também. – sorri.


Conduzi freneticamente e constantemente arrepiada com o toque dele nas minhas pernas. Estacionei o carro e quando me preparava para sair do carro ele já me estava a abrir a porta e a puxar-me de lá com um beijo.
Eu saí, e só separei as nossas bocas, quando abri a porta. Ele atirou a minha mala ao chão, fechou a porta com muita força, que me fez estremecer com o barulho e voltou-se novamente para mim.
As suas mãos tocavam no meu corpo com uma vontade louca de voltar a fazer-me dele, eu retirei a sweat que ele trazia vestida e contemplei os seus abdominais, e toquei para matar a saudade que tinha deles. Tirei o casaco e ajudei-o a retirar a minha t-shirt. Ele sorriu ao ver-me só de soutien e aproveitou o facto de ter o meu peito ao seu dispor. Descalcei-me e num gesto suave ele retirou-me os calções, agora já só estava de roupa interior. Tive vontade de o ver assim também e demonstrei-lhe que queria que ele me ajudasse a tirar-lhe as calças, ele sorriu.


- É o que faz ser a minha meia lequinha… - mordeu o lábio deixando-me louca.

- Tu vê lá, David! Meia lequinha, o caraças! – fingi-me indignada.


Ele calou-me com um beijo intenso e retirou as calças. Estávamos outra vez, quase nus um para o outro, no meio da nossa sala. Ele num balanço dos nossos corpos deixou-se cair sobre mim no sofá, e senti-o excitado. Ele fez indicação e eu retirei o soutien. As duas últimas peças que nos restavam foram tiradas entre beijos e carinhos. Tinha saudade dele, de ser amada, de ser desejada, e destes momentos só nossos.


- Amo-te! – acabei por lhe dizer.

- Eu também, meu amô… - o olhar dele era sincero e transmitia-me segurança.


Ele uniu os nossos corpos, calmamente e a um ritmo constante e vi na sua cara, uma preocupação para não me magoar. Acariciei-o para que ele percebesse que eu estava bem, mas ele continuava com a mesma expressão.


- Amor? – chamei-o.

- Oi? Tô magoando, você? Eu vou com calma...

- Nada disso, óh! Eu estou bem, relaxa.

- Está mesmo?

-  Mesmo, David. Não te preocupes, vá. Podes acelerar se sentires mais prazer… - acariciei-o novamente.

- Obrigado, anjinho. Te amo.


Ele beijou-me e o ritmo acelerou um pouco. Quando termina-mos, ele pegou em mim e levou-me para o nosso quarto. Adormecemos nos braços um do outro.

E agora? Tinha provas suficientes que tinha o melhor homem do mundo comigo, mas seria isso suficiente?






Paula 
Todos os direitos reservados ªª

18 comentários:

  1. Oh amei! Ta lindo, maravilhoso! E claro que tens provas suficientes!Nada de duvidas! Quero-os juntinhos :D
    Quero mais sim? E rapidinho paulinha :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olha primeiro que tudo tenho de dizer-te que estou sem palavras, completamente sem saber o que te dizer, meu amor.
    Eu de facto já sabia que tu tinhas um dom para a escrita, por muito que continues a dizer o contrário (-.-'), mas este capítulo tocou-me de uma maneia absolutamente louca! A lembraça deixou-me com um sorriso parvo na cara e o momento deles completamenta arrepiada!
    Amos estas descrições, a intensidade com que as fazes e a maneira como as aplicas tão bem tornando a narração linda, perfeita e completamente involvente para quem está a ler.
    Tenho que agradecer pelo enorme privilègio que é ler esta história e espero que me possas dar esse privilègio por mais um tempão! :D

    Nunca páres de escrever, seria um desperdício, meu amor!
    Fico anciosamente à espera do próximo!
    Beijinhos ^^
    Te amo, meu bichinho do mato <3

    ResponderEliminar
  3. catia: obrigada linda! beijinhos*

    drii: oh amorzão, és linda, sabias?
    já te disse que não tenho nenhum dom, isso é um facto! Já sabes que te mostro sempre tudo, e até só para ti escrevo :b
    obrigada por gostares desta bodeguinha que escrevo :b

    beijinho*, te amo, bonequinha <3<3<3

    ResponderEliminar
  4. Está LINDO!
    Aleluia! Espero bem que as provas cheguem!
    Amei!
    Kiss

    ResponderEliminar
  5. mary: obrigada querida *
    beijinhos <3

    ana: obrigada, beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. Adorei o capitulo!
    Ta lindo!
    Sao mesmo fofinhos!
    Quero mais!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. é o suficiente, é :p
    eles ficam tão fofos juntos, nao estava á espera qe ele viesse ter com ela *.*
    beijinhoos e se puderes passa pelo meu onde posto uma fic do david e do ruben :)
    P.S- continua, gosto imenso da tua fic!

    ResponderEliminar
  8. Oh qe capiitulO maiis fOfiinhO.. *.*
    AdOreii liinda.. =D

    COntiinua.. QuerO mais, siim?

    BjnhO

    ResponderEliminar
  9. lisa: muito obrigadaa, beijinho*

    cinefreak: muito obrigada, passarei sim. beijinho*

    diidii: muito obrigada! beijinho**

    ResponderEliminar
  10. Muito lindo mesmo, adoreeiiii a forma como tu descreveste a situação está simplesmente brutal, continua e não pares... bjin

    ResponderEliminar
  11. Aii que está tão perfeitinho, Paulinha, está mesmo lindo! Epá está perfeito! Eu já te disse mas volto a repetir todas as vezes que forem precisas, eu amo a tua escrita, escreves tão tão bem! Estou como a Dri, fico com um sorriso parvo na cara, e confesso que deixei cair uma lágrima no reencontro deles! Foi tãoo wwooww *.*
    Continua assim, Paulinha!! :D

    ResponderEliminar
  12. Ohhhhh! Que linda!
    Muito obrigado, amor!
    Continuarei sim!

    Beijinhos <3

    ResponderEliminar
  13. Estou a adorar continua :p
    Posta logo, beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Está linda, cada vez melhor !
    Olha podes me dizer sff onde é que arranjas as imagens de moda??
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  15. anónimo 1:
    muito obrigado, beijinhos!


    anónimo 2:
    muito obrigada! arranjo na net, procuro muito xb
    beijinhos...*

    ResponderEliminar
  16. Adorei o capitulo
    Passem pelo meu blog: http://modaaminhamaneiramar.blogspot.com/
    Se quiserem combinações para os vosso blogs é só pedir no blog.
    Bjs

    ResponderEliminar