quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

centésimo décimo terceiro capítulo [113º]

SEGUNDA-FEIRA: 21 de Fevereiro de 2011


Acordei mais uma vez sem David a meu lado. E, no seu lugar tinha um bilhete escrito com a sua letra.

“Oi gata da minha vida!
Fui para o treino e não acordei você porque já estava atrasadão.
Só devo voltar depois do almoço.
Te Amo,
Beijão,
Davidzão!”

Levantei-me e tomei um banho rápido, mas quentinho e relaxante. Arranjei-me e desci para apanhar um táxi.

Olivia Palermo

Fui até ao Starbucks Coffee da Trafalgar Square e pedi um café duplo para ver se aquecia.


LEMBRANÇA: 4 de Setembro de 2009

Hoje, apesar do bom tempo que se fazia, não podia ir à praia, pois tinha que ir à faculdade tratar do segundo ano do mestrado.
Acordei às 10 da manhã, e pelo calor que se fazia no quarto pareciam ser umas 14 horas. Precisava muito de um ar condicionado, até porque dizem que o inverno vai ser muito mais frio que os últimos e a casa estava cada vez pior no que diz respeito aos isolamentos, mas neste momento a minha carteira já quase que não suportava coisas básicas, quanto mais umas consideradas “luxos”.
Tomei um banho rápido e fresco e vesti-me. (o cabelo também como na foto seguinte)



Peguei na minha mala, e conduzi para a escola.
Tratar da matrícula para o último ano de mestrado demorava mais do que eu alguma vez pensei, e tive umas 3 horas lá a tratar de tudo.
Saí da escola e como não tinha nenhum telefonema do David, decidi ir ao Modelo comprar umas coisas que faltavam em casa.

Estacionei o carro e vi o carro do David, talvez fosse melhor seguir para casa em vez de o encontrar no sítio público… Mas… precisava mesmo de comida, e podíamos sempre fingir que somos apenas amigos.

Comecei a fazer a colocar as minhas coisinhas no carrinho e, nem sinal de David. Podia ter-me enganado na matrícula muito bem…

- Paula?! – ouvi a voz de David atrás de mim e virei-me.

- Olá! Há que tempos! – cumprimentei-o.

- Mesmo!


A expressão surpresa dele, e o facto de me ter reconhecido de costas deu-me muita vontade de rir. Mas tinha mesmo vontade era de o beijar, fazia agora um dia que não o fazia.


- Vou fazer mais umas comprinhas, até qualquer dia. – sorri. – Vê o telemóvel… - disse muito baixinho e virei costas.


Antes de colocar e acabar de comprar o que desejava escrevi uma mensagem.


“Amor, vou agora acabar de fazer umas comprinhas e sigo para casa. Combinamos alguma coisa para hoje?
Amo-te muito, Paula ©


Acabei de fazer as minhas compras e o toque da mensagem fez-se soar de dentro da minha bolsa.


“Claro, gatona! Que surpresa ein? Já estou em casa… Não quer vir aqui ter, e passa essa noite aqui comigo? Tenho saudades suas! Te amo mais, Vi.”


A minha boca delineou um sorriso automaticamente. Também tinha muitas saudades dele, e precisava muito de passar um tempo a sós, pois ultimamente, quando estamos juntos  está sempre um enorme grupo atrás. Respondi-lhe à mensagem já no carro.


“Esse convite é irrecusável, Davidzão! Precisas que leve alguma coisa? :b”


Conduzi para casa, e só depois de colocar a comida toda nos respectivos lugares é que me lembrei de ver o telemóvel.


“Só tou precisando você! Vem rápido, sim? Beijão!”


Respondi-lhe e coloquei as minhas coisas uma mala, por dormir lá.


“Ok, estou assim de casa agora. (: Beijoooo!”


Entrei no carro e conduzi até casa dele. Estacionei o carro cá fora e toquei na campainha. Ele abriu sem perguntar se quer quem eu era. Entrei no elevador e este levou-me rapidamente ao piso do David, assim que saí, vi-o à porta e corri para junto dele. Fechou a porta e beijou-me com muito amor e desejo.

*Mais tarde*

Estávamos agora sentados no sofá, depois de termos jantado. Ele tinha uns boxers vestidos e eu uma simples camisa de dormir.




- Amô, sabe o que podíamos fazê no finde? – perguntou ele ao meu ouvido.

- Diz-me tu… - sugeri e sorri.

- O mister deu uma folga para quem quisé… Podíamos passá-lo fora… - beijou-me suavemente.

- Onde?

- Sei lá, íamos na Europa, onde quisesse, mas eu achei que ia gostar de ir a Barcelona ou Veneza…

- Desculpa, mas não posso.  – responde prontamente.

- Ué?

- O meu dinheiro está cada vez mais escasso, desde que parei de cantar na rua, o dinheiro das sessões, só me chega para as coisas básicas…


Ele riu-se, ironicamente e devo confessar que isso me incomodou bastante.


- Quem falou que era você a pagá? Eu convido eu pago…

- Não… Sabes que não iria permitir isso… Da última vez que o fiz com uma pessoa… - o Marco veio-me imediatamente à cabeça.

- Mas é só um finde para poder passar um tempo descansado com a minha namorada…

- David, por favor… Eu prometo que assim que arranjar algum dinheiro, vou contigo… Mas para já é muito difícil… Eu não consigo, por favor… Não insistas. – uma lágrima caiu-me pelo rosto a fora.

- Vá não chora não… - limpou-me a lágrima e beijou-me a parte da face que tinha ficado molhada… - Eu só queria ficar com você… Dar um compenso por poder namorar como outra garota normal…

-Eu sei… Mas o máximo que te posso fazer, é convidar para ires ao norte, conhecer a minha família. – disse a medo.

- Tá falando sério? Você quer que eu conheça sua família?

- Sim… - hesitei. – Mas… Eu espero até tu quereres…

- Repete lá isso…! – disse com um sorriso na cara.

- Eu quero que conheças a minha família… Sei lá! Já tenho pensado nisso, já tenho a certeza absoluta a algum tempo que isto não é uma coisita qualquer… - beijei-o. – Gosto mesmo de ti, zuca lindo!

- Cê que é linda, e claro que eu aceito! Te amo!!


**

Voltei para o hotel e o David já lá estava, amanhã iríamos mudar-nos para a nossa casa!


- Amor?  Cheguei!


O David caminhou na minha direcção e beijou-me de uma forma única, e eu correspondi de uma maneira que nunca tinha experimentado antes. Amava aquele homem, mas um sentimento muito estranho invadia-me  a mente.



Paula 
Todos os direitos reservados ªª





12 comentários:

  1. Problemas? Não pode!
    Amei!
    Amo a tua fic! :)
    Beijão querida

    ResponderEliminar
  2. CuriiOsa, muiitO curiiOsa.. =D

    FiicO a espera dO prOmetiidO.. =)

    BjnhOs

    ResponderEliminar
  3. catia: pois... terás que esperar pelo próximo! ahha. muito obrigada, minha linda. beijinhos <3


    diidii: vou enviar-te aquilo e à clara na sexta-feira de manhã... e devo publicar no sábado...
    beijinhos (;

    ResponderEliminar
  4. Ai, Paula Maria, já estou com o coraçãozinho apertado!
    Quero o próximo, e rápido, rápido! :)
    Beijãol, minha gata! Te amo!@

    ResponderEliminar
  5. Ohh , porquê é que o que é REALMENTE MUITO BOM, acaba depressa ? -.- :c
    Quero mais mi amor :)

    Te amo Paulinha*

    ResponderEliminar
  6. dri: obrigadão minha drica lipa! ;)
    beijão, te amo también <3


    matiee: o que é bom, já acabou depressa e mais não digo ;s | muito obrigada, meu amor, lindo!
    te amoo <3<3

    ResponderEliminar
  7. Adoro Adoro Adoro!
    Cada vez melhor!
    Eles são tão lindos!
    Kiss

    ResponderEliminar
  8. Sei que tenho andado um pouco ausente nos comentários, peço desculpa... Acredita que não perco um único cap e continuo a achar o mesmo... Adoro a fic, e adoro a tua maneira de escrever... Adoro as lembranças, têm sempre sentimento e a discrição é simplesmente fantástica...

    Bjs

    Clara :P

    ResponderEliminar
  9. obrigada minha linda! <3<3
    não tens que pedir desculpa, beijinhos! <3

    ResponderEliminar