terça-feira, 31 de agosto de 2010

terceiro capítulo

Bem, outra vez? Sempre que estou nas mesmas quatro paredes que ele, ou me lança um piropo ou olha fixamente para mim, não vou dizer que ele é feio, até é bem giro e jeitoso, mas podia ser mais elegante na forma como faz as coisas, e falta de elegância é algo que não me atrai nada.
Sorri-lhe e fui ter com as raparigas, e fiquem sabendo que só sorri porque a boa educação é um dos princípios que prezo.

- Paula! Adoro seu look hoje, é tão lindo! - disse a Matilde (esposa do Kardec)

- Oh, obrigada, tu é que não ficas nada atrás. - disse-lhe enquanto fomos interrompidas pela Mari.

- Todos à mesa, a lasanha não é nada boa fria!

--

Durante o jantar:

Os casais ficaram todos juntos, e para variar colocáram os solteiros juntos, eu e o David, tenho que confessar que ele me intimidava um bocadinho.

- A comida está óptima não acha?

- Sim, está, na verdade a receita da lasanha é minha, mas temos que louvar a cozinheira da Mari, - disse e não consegui conter uma gargalhada.

- A eu lembro quando você fez aquela massa quando nós fomos jantar a sua casa, quando vivia com a Mariana, mas... - exitou um breve momento - tenho pena que você não tenha ficado para jantar connosco.

Olhei à volta para ver se ninguém estava a ouvir-nos, mas não, estavam todos entretidos a namorar.

- Eu já tinha coisas combinadas, mas não percebo porque dizes isso, esta não é a primeira vez que estamos sentados na mesma mesa.

- Mas naquela noite você, estava particularmente diferente, parecia feliz, e quando as pessoas estão felizes ficam ainda mais bonitas... - eu engoli mais uma garfada de lasanha, baixei a cabeça por um segundo, mas achei que era bem educada se a levantasse e olha-se para ele, afinal estava a elogiar-me, e sim, desta forma era bastante elegante. - ... eu não sei, seu sorriso, seu cabelo, toda você brilhava.

- Oh, muito obrigada, eu nem sei o que dizer - quando acabava de dizê-lo, vi o meu telemóvel a piscar, era o Marco! - só um minuto.

Atendi imediatamente.

- Então gato? Mékie? - logo após disto, levantei-me da mesa educadamente e saí para fora, sentando-me numas das cadeiras da piscina.

- "Olha estou aqui com o Pedro e o Luís, e como sabemos que estás com a Mari, não te convidamos para jantar hoje, maaaaaaaas, queres vir almoçar amanhã? Nós vamos os três."

- Mas é óbvio, vocês sabem que só se estiver muito doente é que não me encontro com vocês! Depois, de tarde tenho é que estudar...

- "Eu também de tarde tenho reuniões, mas acho que tens companhia para estudar, eles têm exames segunda e terça."

- Ai é? Ainda bem, estudar sozinha fechada no apartamento é o suicídio!

- "Bem, é melhor desligares senão a Mariana fica cheia de ciúmes, agora muito rápido, queres vir passar uma noitada connosco hoje? Os rapazes acabaram de convidár-te."

- Até ia, mas estou super cansada e depois do jantar vou d-o-r-m-i-r! Amanhã juro que volto a passar daquelas noitadas com vocês, beijo! love you.

- "Beijinhos, love you too!"

Voltei à sala.

- Desculpem, tinha mesmo de atender - eles sorriram.

- Quem era Paula? - perguntou looogo a Mariana.

- Era o Marco.

- Para?

Soltei uma gargalhada.

- Tu nunca vais deixar de ser curiosa pois não? - Ela abanou a cabeça e eu prossegui, mesmo tendo os convidados dela todos a olhar para mim. - Ele estava com o Pedro e o Luís, e queriam convidár-me para uma noitada hoje, um almoço e uma tarde e noite de estudos amanhã. Mais informações?

- Aceitas-te alguma?

- Aceitei todas - soltei uma gargalhada, e toda a sala se riu também - apenas adiei a noitada de hoje para amanhã, mas apenas porque estou bastante cansada - aproveitei e olhei para o relógio, eram 0h30. - e acho que também vou andando.

Estavam todos na sala menos o David, que também foi atender um telefonema.

Depois de sorrir e despedir-me e agradecer o jantar, a Mari levantou-se e enquanto me abraçava disse para ter cuidado com o Marco, e não me magoar novamente.

Sorri mais uma vez e dirigi-me ao meu carro perto dele encontrava-se o David, e assim que viu que eu me preparava para ir embora, desligou a chamada e veio ter comigo imediatamente.

- Já vai? - disse com uma voz carinhosa.

- Já, estou bastante cansada.

Ele aproximou-se e disse:

- Espero voltar a ver-te em breve, você mantém o mesmo número de telemóvel?

- Mantenho sim. - ele aproximou-se ainda mais e deu-me dois beijinhos.

- Então até qualquer dia, não quer companhia para casa, como já é noite?

- Não é preciso, adeus. - sorri e entrei no carro.

Dirigi-me a casa e depois de trancar tudo, deitei-me no sofá e aterrei completamente.

Paula

Todos os direitos reservados ª

1 comentário:

  1. ui o marco.. que é que ele tera feito pata nao confiar nele???


    mais***


    http://fall-for-you23.blogspot.com/

    ResponderEliminar